Erro ao cadastrar: SQLSTATE[23000]: Integrity constraint violation: 1048 Column 'online_ip' cannot be null

Metalúrgicos Da Dober Entram Em Greve - Jornal Bom Dia

Metalúrgicos Da Dober Entram Em Greve

Metalúrgicos Da Dober Entram Em Greve

Trabalhadores de Igaratá decidiram paralisar as atividades por tempo indeterminado até receberem os vencimentos atrasados

 

Cerca de 30 funcionários da unidade igarataense da Dober – empresa fornecedora de alumínio na cidade estão em greve, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região. A paralisação é de 100% dos trabalhadores da produção, afirmou a entidade nesta quinta-feira, 11.

De acordo com funcionários, o aviso prévio da greve já havia sido comunicado aos donos da empresa, que há, pelo menos quatro anos, vem atrasando com salários e FGTS dos metalúrgicos. A paralisação, no entanto, teve início às 7h desta quinta-feira, 11.

As reivindicações da categoria, segundo os próprios funcionários, são relacionadas ao pagamento atrasado de salários. Eles citam o vale referente ao mês de dezembro do ano passado o pagamento do mesmo mês.

“Vamos paralisar os serviços, até a empresa regularizar os pagamentos. Provavelmente, se a gente não se mobilizar, também não iremos receber o mês de janeiro”, disse.

À reportagem do Jornal Bom Dia, o funcionário que preferiu não se identificar, informou que os funcionários passaram as festas de final de ano sem receber.

“Tem muita gente que paga aluguel e todos tem conta para pagar e não recebemos para cumprir com essas questões”, relatou. A empresa que possui 50 trabalhadores produz peças para a Yamaha.

A decisão da greve foi tomada em assembleia e os trabalhadores garantem que não retornarão ao serviço, até que a empresa quite a dívida. Na manhã de ontem, 12, os trabalhadores se reuniram em frente a empresa, a espera de uma posição do proprietário. A reunião dos funcionários permaneceu até as 10 horas, mas a empresa não se posicionou. Na ocasião, 27 funcionários aderiram à greve, enquanto oito permaneceram trabalhando.

“Estamos na luta. Carro sem gasolina não anda, funcionário sem dinheiro não trabalha”, pontuou um trabalhador.

À reportagem do Jornal Bom Dia, os funcionários disseram que buscaram apoio do sindicato, uma vez que já foram prejudicados, por ter paralisado as atividades na empresa em outra ocasião.

“Desta vez formalizamos a paralisação, porque uma vez já fizemos isso e perdemos todos os direitos. Já estamos tendo prejuízo com o atraso do salário, então agora estamos buscando apoio jurídico para garantir nossos direitos”, reforçou.

Com a greve, os funcionários acreditam que os proprietários não consigam dar continuidade nos serviços realizados.

“Com oito pessoas não conseguem tocar a fábrica sozinho. Eletricista parado, o único ferramenteiro e montador de prensa... todo mundo parado”, disse.

SINDICATO

Ontem, 12, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região divulgou que a decisão da greve foi tomada em assembleia.

“Os atrasos são um total desrespeito aos trabalhadores, mas não vamos engolir esses abusos. Todo mundo deu duro na linha de produção e agora a empresa tem de pagar o que deve”, afirma o diretor Nilson Ferreira Leite.