Erro ao cadastrar: SQLSTATE[23000]: Integrity constraint violation: 1048 Column 'online_ip' cannot be null

Isabelense Que Matou Balconista Grávida Pega 18 Anos De Prisão - Jornal Bom Dia

Isabelense Que Matou Balconista Grávida Pega 18 Anos De Prisão

Isabelense Que Matou Balconista Grávida Pega 18 Anos De Prisão

O crime ocorreu em junho do ano passado, quando César Aparecido, de 23 anos, foi preso por ter assassinado a balconista Elisânia da Conceição Leal, de 40 anos, em Santa Isabel. Esta semana, ele confessou o crime em audiência realizada no Fórum da cidade e não demonstrou arrependimento.

Diante da Juíza, Drª Patrícia Cotrim Valério, o assassino contou detalhes do crime, que segundo ele foi planejado, com pelo menos dois dias de antecedência. Ele falou que comprou uma faca no supermercado da cidade na semana em que planejava matar a balconista.  Além disso, no dia do crime disse que levou um martelo, que foi utilizado para bater na cabeça da vítima, que desmaiou. Depois disso, César contou que cortou o pescoço da balconista com a faca, até ter a certeza de que Elisânia já estava sem vida.

No dia do crime, César contou à polícia que a mulher era sua amante e estava grávida, mas se recusava a abortar. Ele chegou a dizer que temia pelo fim do casamento e que a esposa também estava grávida.

O CASO

Depois de contar histórias desconexas, após ser questionado por policiais, César disse que pretendia fugir após o crime, mas o carro encalhou.

César então acionou a Polícia Militar por volta das 20h30 e informou que havia uma vítima de homicídio na Avenida Brasil. De acordo com o boletim de ocorrência, ao chegarem ao endereço os policiais encontraram o suspeito ofegante e falando coisas sem sentido.

Em um primeiro momento, ele contou aos policiais que foi pegar seu carro e no local estavam dois homens e uma mulher. O suspeito afirmou que os homens o obrigaram a dirigir o próprio carro por uma estrada de terra, que é a continuação da Avenida Brasil, trecho conhecido como Estrada dos Três Chicos. Lá, os homens o teriam obrigado a matar a mulher.

Os policiais acharam o relato estranho, colocaram o suspeito na viatura e seguiram com ele até a estrada. Em um trecho da via, eles encontraram o carro do homem atravessado na estrada de terra. Perto do veículo havia o corpo de uma mulher que apresentava ferimento na cabeça e um corte profundo no pescoço.

Ao realizar buscas nos arredores, os policiais afirmaram que encontraram um martelo com cabo de madeira e uma faca com cabo de plástico preto, com manchas de sangue. Os policiais levaram o suspeito à delegacia, onde, segundo a polícia, ele confessou que matou a mulher com quem tinha um relacionamento há algum tempo. Ainda na versão do suspeito, a vítima estava grávida e ele tentava convencê-la a abortar, porque tinha se casado recentemente, sua esposa estava grávida de oito meses e se descobrisse sua traição poderia acabar com o casamento.

Na época, a Polícia Civil destacou no boletim de ocorrência que o suspeito planejou todos os detalhes do crime, atraindo a vítima para um local ermo. O suspeito foi preso por homicídio qualificado e encaminhado para o 1º Distrito Policial de Guarulhos.

O veículo do suspeito, um celular e as armas do crime foram apreendidos. Um exame necroscópico foi solicitado para a vítima para comprovar a gravidez, que não era aparente fisicamente, segundo a polícia.