Febre Amarela Mata Trabalhador Em Santa Isabel, Diz FamÍlia

Febre Amarela Mata Trabalhador Em Santa Isabel, Diz FamÍlia

A família de Milton Gomes da Silva, de 48 anos, lamentou a morte precoce do trabalhador. Ele começou a apresentar os sintomas da febre amarela há uma semana e faleceu nesta segunda-feira, 26. A família acredita que Milton contraiu a doença no Bairro São Domingos, em Santa Isabel. A Secretaria Municipal de Saúde não se manifestou sobre o caso.

Em entrevista ao Jornal Bom Dia nesta quinta-feira, 1º, a cunhada da vítima, Fabia Moraes relatou a situação. Segundo ela, o cunhado trabalhava em uma construção no Bairro São Domingos – zona rural da cidade. Lá, ele atuou em uma obra durante um mês.

“Meu cunhado e meu esposo estavam fazendo um serviço na área rural de Santa Isabel, próximo ao bairro da Pedra Branca, dias depois apresentaram os sintomas, meu cunhado apresentou primeiro os sintomas e rapidamente se agravaram, meu marido também apresentou os sintomas e como meu cunhado estava já em estado grave no Emílio Ribas, a equipe médica do Santa Marcelina achou melhor transferir meu esposo também ao Emílio Ribas para fazer exames. Meu esposo não é confirmado, pois fez exame há 3 dias e o resultado só sai em 10”, explicou.

Segundo Fabia, seu cunhado faleceu no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo, onde todos os exames foram realizados. Antes disso, a vítima havia dado entrada no Hospital Santa Marcelina em Itaquaquecetuba no domingo, 25,

“Enterramos ele ontem (quarta-feira), o caso todo foi passado ao hospital onde ele faleceu, Emílio Ribas, fizeram várias perguntas lá e disseram que iriam investigar o caso, mas o hospital desde o início da sua internação no hospital Santa Marcelina, disse se tratar de febre amarela, ficou 3 dias no Santa Marcelina, e transferido ao Emílio Ribas a doença já estava no estágio hemorrágico atingiu fígado , rins e ele não resistiu”, lamentou.

A família de Milton reside em Itaquaquecetuba, entretanto acreditam que o cunhado contraiu a doença no município de Santa Isabel, onde trabalhava durante todo o dia na área rural. “Lembrando ainda que meu marido, irmão dele também está com os sintomas, porém ainda não foi confirmado o dele, os dois realizaram serviços juntos aí em Santa Isabel. É bem aí perto onde na mesma semana encontraram o macaco morto e exame depois confirmou que ele estava com o vírus”, explicou.

Milton não havia tomado a vacina, assim como o esposo de Fabia. “Poucas pessoas da minha família tomaram a vacina contra a febre amarela. Estou em choque e meu esposo ainda está se recuperando, a família toda está arrasada”, contou.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Saúde de Santa Isabel, que não se manifestou sobre o caso até o fechamento desta edição. Entretanto, o setor de comunicação da prefeitura informou na tarde de ontem, 2, que a municipalidade não recebeu nenhuma informação oficial sobre o caso.

OUTRO CASO

Um homem que reside em Santa Isabel está internado no Hospital das Clinicas, na capital paulista, onde se submete a tratamento contra a febre amarela. Este seria o primeiro caso oficial da doença em humano no município. Entretanto, a Secretaria Municipal de Saúde de Santa Isabel não fez qualquer comunicado sobre o ocorrido, ignorando os questionamentos feitos pela reportagem.

O caso veio à tona nesta quinta-feira, 1º de março. Trata-se de contaminação silvestre. Segundo familiares, o homem se recusou a tomar a vacina. A prefeitura não informou o bairro onde a vítima reside, mas especula-se que a vítima morava no bairro da Barroca Funda.