Arujá Confirma Primeira Morte Por Febre Amarela

Arujá Confirma Primeira Morte Por Febre Amarela

Na última terça-feira, 6, a Secretaria de Saúde de Arujá confirmou a morte de um homem de 60 anos,
morador do Jardim Josely, em decorrência de febre amarela, no Hospital das Clínicas, em São Paulo, em 24 de
janeiro. A notificação foi feita pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica de Mogi das Cruzes (GVE -8), que atende a região do Alto Tietê. Esta é a primeira morte por febre amarela confirmada na região.


Outras duas suspeitas, de Itaquaquecetuba, estão sendo investigadas. O atraso na notificação à Diretoria
de Vigilância em Saúde de Arujá deuse pelo fato de o morador ter cadastrado no Hospital das Clínicas endereço de familiares de Itaqua, município no qual recebeu a dose da vacina contra a doença
em 28 de novembro de 2017.

Segundo familiares e amigos da ví- tima, em informação transmitida à Vigilância em Saúde Municipal, que esteve no Jardim Josely nesta terça, logo após ser notificada, a vítima tinha o hábito de pescar em águas de lagos de municípios do Alto Tietê, inclusive no período noturno.


VACINA
Esta é a primeira notificação de febre amarela em humano no município de Arujá. O município continua vacinando nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Barreto, Centro de Saúde II, Jardim Fazenda Rincão, Nova Arujá, Jardim Real e Mirante, de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas, mediante distribuição de senhas.
Até o momento, mais de 77 mil pessoas foram imunizadas na cidade. Após a morte, a Secretaria de Saúde promoveu bloqueio casa a casa no Jardim Josely, mediante a retirada de materiais inservíveis, nebulização e orientação de moradores.

O objetivo é o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, chikungunya, zika e da febre amarela. O Jardim Josely já havia recebido as ações entre 27 e 30 de novembro de 2017, quando 150 pessoas foram vacinadas e 120 imóveis residenciais foram abrangidos, conforme recomendação da Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN).